domingo, 18 de setembro de 2011

Abstração das Cores no Universo do Cego.


Estava eu pensando o quanto deve ser difícil ser cego.
Sem fazer comparações a respeito de deficiências, a vida do individuo cego, sofre uma limitação incrível, e como a vida sempre luta para existir, o cego têm outros sentidos aguçados, como o tato, a audição e o olfato.
O deficiente visual que já nasceu cego, não tem ideia das cores, oque é o verde, branco ou qualquer outra cor......não existem as cores, é como se fossem abstratas.Também estava pensando, se não há visão, também não há noção espacial......noção de distância.
Fiquei muito curioso em saber o dia a dia do indivíduo cego, seu cotidiano,  como um simples ato de ir ao supermercado..... como fazem para exercer de forma plena sua cidadania.
Pesquisando cheguei ao site do Instituto Bejamin Constant,  que é um Centro de Referência, a nível nacional, para questões da deficiência visual.
Possui uma escola, capacita profissionais da área da deficiência visual, assessora escolas e instituições, realiza consultas oftamológicas à população, reabilita, produz material especializado, impressos em Braille e publicações científicas.
O Instituto é aqui na cidade do Rio de Janeiro, fiquei muito interesado em conhecer  in loco o trabalho do Instituto e postar as informações aqui no Recuperação e Arte.
Grande abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário